terça-feira, 6 de setembro de 2016

Desentendimento - Lucas Jammal

Jamais irei te abandonar,
vai que um dia você precise de mim,
vai que um dia queira voltar,
pra essa amizade que não deveria ter tido um fim...

Meus desejos, você nem aguenta mais escutar,
pois se sente inútil de não poder realizar,
mas falo que você me faz feliz,
mas você não entende nada do que meu peito diz...

Mesmo com muito tempo perdido,
eu te explico, novamente,
sobre sentimentos, o caminho sofrido,
mas você me vê como um doente...

E realmente não entende o que estou dizendo,
e se aprofunda num desentendimento tremendo,
causado por um momento imbecil,
provocado pelas palavras de quem sempre se iludiu.

Sempre sofri com essa paixão,
Mas enquanto você não sabia,
você vinha sempre me consolar,
lia, como se não fosse pra você, minha poesia,
quis talvez ser a mulher que morava em meu coração
mas quando soube que era, não conseguiu mais me admirar.

Como sofri, quando te escutei dizer
" Faz o que teu coração mandar "
era tão ruim sofrer,
não poder me declarar...

Agora me declaro, a cada segundo,
e assim, ela fica muito brava comigo...
não cabe em meu peito tal amor profundo,
você não me trata mais como um grande amigo...

Dói saber que qualquer homem é melhor que eu,
em meu lugar, aceitaria qualquer convite da morte,
você não sabe o quanto que sou teu,
fizeste do azar o que poderia ter sido a nossa maior sorte.

A vida foi feita,
pra viver ou ser poeta,
minha morte foi eleita
a minha maior meta.

E minhas metas estão cansadas,
de serem sempre adiadas...
Quero me entregar para o nada,
pois me identifico com o vazio...

É tão horrível passar frio,
ter que pegar essa estrada,
dessa minha vida tão sem sal
e todo dia é sempre igual...

Nenhum comentário:

Postar um comentário