quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Destino da lua - Lucas Jammal

F#m
   Destino da lua...
F5+
   Não ser de ninguém...
E
  Andando na rua...
D#m
  Nua, até o além...

D
  Sempre na procura...
Ddim
  De um amor infinito...
C
  Com a alma escura...
Cdim
  Tudo é tão bonito...

        A
Mas nada se toca e eu não posso olhar...
      F#m
Eu não posso ter alguém para amar...
       A
São todos pedaços e eu também sou...
     F#m
Ninguém aparece, não sei pra onde vou...

                  F#
Destino da lua...
                     F#m
Luar sem destino...
                  F#
Destino da lua...
                     F#m
Luar sem destino...

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Bobão - Lucas Jammal

Queria ter morrido no lugar do teu irmão,
Pois não sirvo nem pra te encontrar,
Só repito as coisas, vivendo plena solidão,
O que sou além de um pobre amar?

Só busco o amor e fortes sentimentos,
Mas de que adianta tanta busca se nem posso tocar,
Sou a grande máquina eliminadora de momentos,
Sou o forte momento de me ofuscar.

Sou o contentamento em qualquer lugar,
Cansado da vida, deixo o tempo passar,
Sem sair do lugar, como o mundo, girando.

E então fico tonto e caído, no chão,
Não levanto, pois tudo que fiz foi em vão.
Mas vivo. Mesmo que em lugar nenhum estando.

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Privilegiado - Lucas Jammal

Nesse mundo onde quase todo homem está sozinho,
Sou privilegiado por ter uma namorada,
Sou privilegiado por ter alguém que me dá tanto carinho,
Sendo que as vezes, nem preciso dar nada.

Seria muito ruim não ter alguém pra mim,
Viver dias solitários, eu não iria aguentar,
Eu sou muito romântico, esse seria meu fim,
Do que valeria a vida sem ter alguém pra amar?

E você é tão, tão jovem na cama...
E ah! Com o tanto que você me ama,
Não deve ter sobrado amor pra mais ninguém.

Sem você eu ficaria sozinho e fracassado,
Buscando em amizade, algum amor desperdiçado,
Amando intensamente, mas tratado com desdém.

Mulheres amam " não " - Lucas Jammal

Escolha para namorar,
A mulher que você menos ama,
Pois é esta que poderá lhe amar,
E somente esta que irá contigo até a cama.

E essa irá muito te cuidar,
Pois irá precisar da tua atenção,
E coisas doces essa irá falar,
Para tentar ganhar teu coração.

Mas se ganhar... outra mulher você deve desejar
E teu coração, deve entregar rapidamente,
Pois qualquer mulher só consegue gostar
De quem, com ela, nunca está contente.

E descontente, ela irá achar que vive grande paixão,
E se sentirá segura, pois o amor é a única ameaça...
É fato, toda mulher é apaixonada pelo " não ".
Desista de ser caçador. Amor só se caça sendo a caça.

Querer não te torna especial - todo mundo quer -
A paixão é odiada por todas elas, só causa dor,
Pois o que mais apaixona qualquer mulher,
É a inteligência emocional, é ausência do amor.

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Te ofereço - Lucas Jammal

Te ofereço felicidade,
Você nega.
Você prefere uma amizade...
Cega...

Te ofereço todo meu amor,
Mas sou péssimo em negociar,
Você então prefere a dor,
Que amar.

Me abro pra você sem parar,
Você prefere se calar
Que o meu amor repetitivo...

E então prefere fazer cara triste,
Pois dentro de ti não existe
dos meus sonhos, o mais vivo.

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Você tem que sentir - Lucas Jammal

Eu não to pedindo,
Também não to insistindo,
Só sei que essa é a melhor proposta,
Quer bater uma aposta?
O amor deveria sempre ganhar,
Se não fosse essa vida tão real,
Seria tão romântico amar,
Não adianta eu insistir no que não é normal.

Não é normal amar, isso é tão evidente,
Mas quero te encontrar tão sorridente,
E perceber que fui eu, fiz você sorrir!
Eu oro pra te fazer sentir!
Mas só se você sentir primeiro,
Esse meu sentimento verdadeiro,
Mas antes você tem que sentir
Um sentimento inteiro.

E se hoje eu não faço nada,
É condenado de tento pensar,
Um pensamento de tentar te agradar,
Mas me perco na estrada
E perco tudo que é dom
E nem consigo me amar mais,
Pois não realizo nada daquilo que eu quero,
Mesmo assim, eu paro, penso e te espero,
É só você fazer um som,
que eu deixo tudo pra trás.

Se eu for morrer sozinho - Lucas Jammal

Destino, me diga, se eu for morrer
sozinho, eu já me mato agora,
Me diga, destino, se for pra eu sofrer,
Eu antecipo a hora.

Dê-me um pouco mais de hospital,
Ou um hospício, pra eu ficar internado.
Pois esse meu sofrimento não é normal,
Espíritos tem me deixado assombrado.

Não me enxergo com futuro algum assim,
Mas tenho passado pra me entregar,
É por isso que sou meio e nunca fim,
Nada vale a vida sem alguém pra amar.

Relativo - Lucas Jammal

É tudo relativo,
Talvez esse meu jeito passivo,
Seja na verdade bem ativo,
Talvez seja bem racional ser emotivo.

Nunca consigo o que quero com o outro,
Sempre acaba acabando num ponto errado,
Meu ponto final se estende até os fins dos tempos...

Tudo que eu digo tem duplo sentido,
Parece até que sou dissimulado...
Parece até que estou no tempo errado...

Sempre sou manipulado
Por algo que não é bom pra gente...
E é sempre sua ideia,
Você é muito teimosa, sabia?

Você sabe que eu só te beijo,
Quando eu não desejo...
Se eu quisesse te ver,
Eu me trancava no quarto
E cantava teu nome.
Você sabe, eu só como
Quando não estou com fome.

Sempre que eu acordo,
Ela sonha comigo,
É hora de arrumar um amor
E eu acabo me tornando um amigo.

Parece até que nada vai mudar,
É sempre a mesma comodidade,
Não sei se a mentira maior é sonhar,
Ou se é a realidade.

Parece que sempre olham pra mim
E por ser poeta, questionam se é mesmo verdade...
Parece que quando todos esperam um fim,
Eu acabo apenas parando pela metade,
Então eu volto e todos já foram embora,
Sem saber se foi agora
Ou se já faz alguns anos,
Mas aí eu penso:
" Agora eu sei a resposta,
Agora eu descobri a fórmula certa "

Então eu me concentro e fecho a porta...
Mas eu demorei tanto pra descobrir,
Que agora não adianta mais insistir,
Pois a ciência está morta.

Soneto tórpido - Lucas Jammal

Tudo era rápido e tão rápido,
A gente estava sempre em primeiro lugar.
Agora, como o mundo, eu estou tórpido,
Nem faço mais questão de levantar.

Mas tudo antes corria tão bem corrido,
Você era a primeira a aparecer.
E mesmo quando eu me sentia esquecido,
Você não conseguia me esquecer.

Você se apaixonava pelo sólido
E o amor era tão nítido,
Que mesmo invisível, me encantava.

Agora estou perdido no mundo e tímido,
Tentando bancar um adulto lúcido,
Mas louco pela época em que você me amava.

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Soneto dissimulado - Lucas Jammal

Morro de medo de te ver sorrir,
Pois não quero te ver sofrer.
O vazio eu sempre busco sentir,
Somente o vazio pode satisfazer.

Eu morro de medo de estar ao teu lado,
De ser convidado sem saber ser o prato
E perceber o teu soneto dissimulado,
De não sentir e parecer tão ingrato.

Morro de medo de ter que cantar
E te fazer chorar, sem sentir nada,
Eu morro de medo do medo de amar.

Tão bom ser escuro, tão bom ser oculto,
Eu amo tua aura escura e apagada,
E odeio tudo que não é vulto.

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Minha presença - Lucas Jammal

Minha presença é maior do que você imagina,
Meu querer é maior do que você quer,
Dos desejos, um imenso é comer a tua vagina
E poder sempre sentir o teu gosto de mulher.

Eu quero ficar perto de ti o tempo inteiro,
Sair da zona de amizade e poder realizar,
Poder me transformar num grande companheiro,
Quero te levar ao céu e te deixar sem ar!

Te fazer esquecer de tudo, levar num clima quente!
Você não sabe realmente o que você sente,
Você não merece encontrar apenas um amigo.

Tente sentir o prazer de ser amada,
Por alguém que no futuro vai te deixar apaixonada,
Venha viver todos os teus momentos comigo.

Morte com consulta - Lucas Jammal

Lamentar de forma adulta,
Amar apenas pra evoluir,
Pra Morte, pedir consulta,
Ficar quieto e sentir.

Momentos de escuridão,
Intensos em meu querer,
Pra sorte, aceitar o não
E chorar sem sofrer.

Sorrir em falso para o mundo
E em cada instante profundo,
Aceitar o fracasso da perfeição.

Negociar com a morte e pronto,
Pra que ela marque o nosso encontro
Para a próxima reencarnação.

Seus próprios fantasmas - Lucas Jammal

Você tem seus próprios fantasmas,
Não acredita no poder do vampiro,
Não se sente segura na minha casa,
Na minha humilde casa assombrada...

Você tem seus próprios fantasmas,
Você não precisa dos meus,
Então nosso futuro que sempre foi escrito,
Nunca irá acontecer

Pois você tem seus próprios fantasmas,
Tem seus próprios sonhos perturbados
Pela realidade fria e sólida...
Você está tão distante de mim.

Você anda envergonhada?
A vida difícil, você não presta atenção,
Teu fantasma não te deixa estar apaixonada
Pois sempre escurece teu coração.

Por mais que eu lhe escurasse
Não seria eu, teu fantasma a te tocar,
Por mais que você me escutasse,
Não tremeria teu corpo ao me ouvir falar...

É que você tem seus próprios fantasmas,
Não adianta eu insistir nessa loucura,
Você não sabe o que são fantasmas,
Mas comigo a tua noite seria tão escura...

Vá logo e repasse meu impasse,
E leia como se fosse do outro, a poesia,
Vá e me humilhe como se eu não amasse,
Trate meu amor como simples fantasia.

Mas se depois, o fantasma insistir,
Trate tudo como uma pobre obsessão,
Ignore tudo que eu começar a sentir,
Afinal, pra que serve um coração?

Mas são fantasmas atrapalhando seu caminho,
Que eu ilumino, tento sempre guiar,
Mas você se perde e me deixa sozinho
E eu sempre repito o que não posso falar.

E eu rezo pro fantasma que eu preciso achar,
E que meu espírito será dele, mas não tenho espírito,
Você sabe, amor, eu nem posso negociar,
E morto está meu perispírito.

Poemas não são como os fantasmas são,
Não adianta eu tentar forçar e rimar,
Nem mesmo se virasse uma canção,
Seria o suficiente pra te fazer lembrar.

Se você suspirasse como suspiro,
Eu poderia sempre te salvar,
Mas o não sai da tua boca como um tiro,
É tão triste não poder te tocar,

Oh, fantasma branca que me faz perder,
O mapa do meu destino,
Que me adoece de medo e faz parecer,
Do grande homem, um bobo menino.

Você sempre gostou tanto da arte,
Você sempre gostou tanto da dor,
Seria tão bom fugir contigo pra Marte,
Pois eu te amo, eu te amo, meu amor!

Você nunca irá saber que é tudo verdade,
Sou diferente, por mais que você duvide.
Corra para o corpo físico da realidade,
Antes que meu fantasma lhe engravide.

sexta-feira, 21 de julho de 2017

A tristeza - Lucas Jammal

C            
A tristeza é lenta,
Feito uma jumenta,
Cdim
Que carrega teu torturador.

F
A tristeza é a dor
                   C
De ser infantil...

E
 A tristeza é um rio,
Edim
Cheio de piranhas,
que comem as entranhas!

B
 A tristeza é a aranha,
A
 De todo mundo que estranha
G#m
 Ter um motivo pra viver.

G#7
A tristeza faz sofrer,
Gm9
A tristeza é profunda,
   F#
E faz escurecer,
         Fm
A tristeza é moribunda.

Cm                                                     B9
Que só a tristeza existe, é a única certeza,
Am                   Dm                           G#dim
Pois felicidade é um disfarce pra tristeza.

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Não posso te tocar - Lucas Jammal

Tão importante pra mim, tão importante!
Não sabe o quanto você me faz sorrir e chorar.
E escrever esse verso nesse instante,
De forma clichê, toda verdade contar.

Que te amo e te amo a cada momento!
Mas não fui feito pra te amar!
E então, esse eterno sofrimento,
Eu não consigo controlar!

Pois quero te ter nos braços, eternamente,
Em tua casa eu quero ter onde ficar,
E contigo, dormir, todo contente,
De conseguir te confundir pra me encontrar!

E quero arriscar até a morte,
Se eu te comesse eu chorava sem parar!
Por saber que é impossível tamanha sorte
E depois de tudo isso, eu iria acordar.

E viveria mais um dia sem te ver.
E hoje eu vivo de sofrer sem teu olhar!
Pois pra perto, eu nem pude te trazer
E de longe eu nem posso te tocar.

Repouso - Lucas Jammal

Não vou morrer,
Mas também não vou viver,
Vou olhar pela janela
E pensar no que fazer.

Não vou pular
E também não vou voar,
Se eu cair não tem problema,
Pois também não vou chorar...

Não vou cair
E também não vou subir,
Vou manter-me aqui sentado,
Até eu me decidir.

Meu relacionamento cabeça é infantil - Lucas Jammal

Pra ela, a palavra namorado,
Só existe um significado
E portanto não se envolve sem um relacionamento...

E eu? Bem, eu sou muito lento.
E também muito mimado,
A mente leve como o vento
E o coração bem apertado.

Pois pra ela, namorado não é brincadeira
E eu só sei brincar.
Só sei escrever poesia (e escrever besteira)
Será que sei mesmo namorar?

Amo, amo, amo, sem poder amar,
Tomo decisões erradas e acabo sem ar...
Rimar no último verso seria até palhaçada.

Eu realmente deveria doar meus brinquedos - Lucas Jammal

Tanto te amo, amor,
Mas os brinquedos me devoram,
É que a hora de morrer passou
E eu me mantive criança.

Mas você ama adultos, amor
E eu só causo confusão,
Eu sou uma tremenda decepção,
Sou um poço fundo de dor.

É até muito triste eu insistir,
em te chamar de amor...
Pois crianças não tem um amor,
Crianças só tem brinquedos.

E há crianças que nem tem brinquedos,
Mas sentem a vontade de brincar,
E confundem com a vontade de amar,
Pois o amor está solto no mundo!

Será que trabalho mesmo?
Será que dirijo mesmo?
Ou será que é tudo brinquedo
E tudo parte da minha imaginação?

Pois não pude trazer um amor perto,
Mas sim deixar mais confuso,
Não pude crescer por dentro,
Pra depois poder amar.

Mas eu quero tanto amar!
E se tem alguém adulto pra você,
Não significa que eu vou ser
Adulto para alguém.

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Anjo negro - Lucas Jammal

Todo mundo morto.
Eu falhei como um anjo da guarda.
Não pude salvar uma vida
Que vive no teu coração,
Não pude salvar os teus dias.

As ruas todas vazias,
Os espíritos não passam mais por lá,
Todo mundo morto,
Uns mais do que deviam estar.
Não pude salvar os teus dias.

Sou apenas um anjo negro,
Um demônio que quis ser um bom homem,
Mas que destrói tudo com suas lágrimas...
Não tenho asas, mas sim medo do sol...
Não pude salvar os teus dias.

Não pude iluminar as tuas noites,
Não pude provar que amo,
Não pude fazer diferente,
Não quis ver o luar contigo,
Não pude salvar os teus dias.

Não pude salvar um mendigo,
Nem mesmo um gatinho na rua,
Nem mesmo um vão sentimento,
Nem mesmo uma simples poesia,
Não pude salvar os teus dias.

Com minha imunidade baixa,
Não salvo nem mesmo um ar,
Não pude nem trabalhar,
Nem me enfiar dentro de uma caixa...
Não pude salvar os teus dias.

Não sei o que é pior
Se as músicas ou se o silêncio,
Se o sol ou se o luar,
Ou o fato de que eu
Não pude salvar os teus dias.

Será que eu deveria estar rezando de joelhos?
Será que procurando mais algum remédio?
Será que eu deveria me esforçar de verdade?
Será que eu deveria parar de pensar que eu
Não pude salvar os teus dias?

Um dia eu vou cair do céu
E todos vão rir de mim,
Pois humanos estão em alturas
muito maiores que os anjos.
Muito maiores que os anjos.

As coisas que vejo na terra,
Não fazem meu coração sentir,
Não aniquilam o peso do tempo.
Nada é como te ver sorrir...
Mas eu não pude salvar os teus dias.

domingo, 28 de maio de 2017

Rejeição - Lucas Jammal

O que eu posso fazer,
Se em você, eu achei o amor?
Será que eu devo morrer,
Pra poder superar essa dor?

Você pode ser
O que ninguém quer pra mim,
Mas nosso amor não para de crescer,
É impossível ter fim.

Não importa o quanto tente ficar distante,
Sendo que minha ansiedade ambulante,
Me faz morrer em cada rejeição...

Eu quero estar com você em cada vida,
E concluir que o resto é só ferida,
Pois sem você só existe o não.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Vontade de escrever - Lucas Jammal

Nem passa mais no peito,
Vontade de escrever,
Nem tenho mais respeito,
Quando não posso ser.

E fico sem postura,
De lado pra aprender,
A vida é tão dura,
Nem sonho posso viver.

Tão pouco fico a sonhar,
E então você vai embora,
Tão triste ter que acordar
E jogar o coração fora.

Me esqueceram na lua - Lucas Jammal

Estou deprimido,
Numa série de frustrações,
E arrependido,
De viver imensas ilusões.

Fervendo de ansiedade,
Com medos irracionais,
Morrendo de saudade,
De coisas apenas ideais.

De um futuro tão passado,
Que passou despercebido,
De tudo, estou cansado,
Por todos, esquecido.

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Única poesia - Lucas Jammal

Meninas que andam sobre o luar,
Mas não são como você,
Por mais que tenham corpo,
Por mais que tenham alma,
Não são como você...

Por mais que andem nuas,
Em águas cristalinas,
Não são como você,
Por mais que eu as envie
A mesma poesia...

Por mais que esse meu peito,
Estrague esses momentos,
Ser agradável, ter respeito,
Mostrar meus sentimentos,
Mas as vezes tudo falha...

Por mais que eu me lembre,
Que nada é erudito
E eu não sou nada sábio,
Eu sou é esquisito...
Nem mesmo inteligente!

Por mais que eu fique alegre,
Por mais que fique doente,
Por mais que eu me contente,
Procure um clone igualzinho,
Não é como você.

Você é única poesia,
Diferentemente desse poema,
Vocé é música, é alegria,
Qual é o meu problema?
Qual é o teu esquema?

Qual é a tua equação?
Qual a tua teoria?
Venha, abra o teu coração,
Pois a brisa está bem fria,
Pra manter na solidão.

Você é única pra mim,
Mesmo que exista mais alguém,
Você é o começo, meio e fim,
E isso não é mais ninguém,
Mesmo se viver comigo.

Não quero parecer mendigo!
Você me quer como amigo?
Ou posso ser um pouco mais?
Tão bom viver esse perigo,
Pois é nele onde há a paz.

Quero falar em teu ouvido,
Coisas que penso todo dia,
Até que teu coração se dê por vencido,
E a gente se conheça numa doce euforia,
E se convença desse amor aquecido.

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Um homem frio - Lucas Jammal

Há um homem frio,
Vestindo roupas frias,
Em um dia frio,
Em teu quarto frio.

Ele nunca sente frio,
Pois ele é muito frio
E as mulheres ficam loucas,
Com a sua loucura fria.

As mulheres são frias,
Como a piscina é fria,
Como o sul é frio,
Como a carne é fria.

O suicídio é frio
E a nostalgia é fria
O pensamento é frio
O coração é frio.

As cores são azuis,
verdes ou violetas,
Seu quarto é todo preto,
As músicas são frias.

A poesia é fria,
O seu amor é frio,
A sua dúvida é fria,
A sua escolha é fria.

Sua alma é fria,
Pois seu Deus é frio,
A sua Bíblia é fria,
Pois sua leitura é fria.

Seu vestuário é frio,
Pois as roupas são frias,
Pois as roupas indicam a morte
E a morte é sempre fria.

O pornozão é tão frio,
Como uma partida de futebol,
Ou uma prova de matemática,
A vida e o sonho, frios.

Até sua paixão é fria,
Oh, homem frio,
Cansado de ser quente,
Enquanto o mundo inteiro é morno.

Um quente
mais um morno
É igual a
dois frios.

Um menino em sua bicicleta - Lucas Jammal

Todos os momentos meus são profundos,
melhor acreditar que são apenas momentos,
onde eu entro de cara nos mais imundos
de todos esses meus sentimentos.

Toda a minha esperança é vazia,
melhor acreditar que é apenas esperança,
minha alma está completamente fria,
pois minha mente tem apenas uma lembrança.

Todo meu segredo é bem escancarado,
melhor acreditar que é apenas um segredo,
melhor me conformar com meu ato desesperado
de tentar provar que o amor não é o oposto do medo.

sábado, 29 de abril de 2017

Deus lobo - Lucas Jammal

Se eu fosse o único do mundo, eu estaria com frio,
Mas como lhe criei, eu estou congelando...
Pois eu estou extremamente vazio,
Pois eu estou extremamente amando...

E se eu fosse especial pra quem eu criei,
Mas em seu livre arbítrio o mundo está acabando,
Aonde será que eu errei?
Por que vocês estão sempre errando?

Será que o amor faz até Deus errar?
Com esse ódio todo, é óbvio que o mundo vai acabar...
Se fossem mais que palavras, se o mundo pudesse escutar,
As mensagens que minhas escritas tem pra passar...

Eu não gosto de pensar
Que você não se atreve em buscar o amor...
E como me animar,
Se eu já sei que o futuro está afundado na dor.

Eu preciso te mostrar minha glória agora,
Meu coração vive escancarado, pode entrar,
Não deixe esfriar, não deixe passar essa hora,
A gente precisa se encontrar.

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Frio de 2017 - Lucas Jammal

Eu seguro meu celular com carinho,
Pois é nele onde tuas palavras e fotos estão,
Oh! Eu me sinto tão sozinho,
Estar longe de ti estraçalha com meu coração!

Sem você minha vida não consegue seguir,
Eu preciso todo dia, segurar a tua mão,
Mas seguro o celular, oh, eu nem posso sentir,
Com todos os sentidos, quem provoca essa paixão!

Como judia de mim, como judia de mim a lua,
Pois assim como você, ela vive na escuridão,
E ela brilha no escuro e é branca e está nua,
Mas que doença grande é a solidão!

Mas não me chame de doente, não me chame de doente,
Não chame a polícia: você quem deve me prender,
Em teus braços, quero ficar abraçado, eternamente,
E mesmo num frio arrepiante, começar a derreter!

Vem amor, compartilha tudo comigo,
Queria poder te chamar de namorada,
Fico triste por ser só teu amigo,
Mas é melhor que ser um nada.

Qualquer - Lucas Jammal

Eis que qualquer proposta parece infantil,
E mera perda de tempo, qualquer poesia,
E meu tesão parece espécie de desejo vazio,
É muito Lucas pra pouca fantasia.

As vezes parece que eu não passo de um qualquer,
procurando qualquer emprego, em qualquer mundo,
Comendo qualquer coisa, amando qualquer mulher,
Na procura de qualquer sentimento profundo.

Eu só quero tanto ser o seu único especial,
E não ter que lutar pra ser um qualquer escolhido,
Nossa distância maldita faz parecer mais racional,
Você escolher um querido qualquer, que o qualquer querido.

Durante anos venho, a cada verso, me declarando,
São versos quaisquer, pro amor da minha vida,
Em lagrimas quaisquer eu venho mergulhando,
Pois em meu coração qualquer, não serás esquecida.

Deixo Deus escrever meus versos, mas nem ele tem o poder,
De mudar tua natureza, que não lhe permite ver que fui nascido,
Pra viver sempre ao teu lado e por você, sempre morrer
E te amar com toda certeza que serei correspondido.

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Delícias das coisas discretas - Lucas Jammal

Quero que meu nome te faça sorrir,
Que me veja duro e fique ensopada,
Que os sentimentos mais intensos, permita sentir,
Quero te ver perdidamente apaixonada.

Só quero que corresponda, mas meu medo,
É que você não saiba mais me esperar,
Ou que você guarde esse amor em segredo,
Ou que nada saia do lugar.

Quero um baú de cartas e fotos secretas,
Quero as delícias das coisas discretas
E também das escancaradas.

Em todo momento, eu quero ousadia,
Quero aquilo que não se escreve em poesia,
Quero tua alma e tua pele peladas.

A casinha do safado - Lucas Jammal

Quero entrar na sua casinha
E sentir o cremoso calor,
Poder chama-la de minha
E nela, fazer amor...

Mas enquanto eu não posso entrar,
Deixe a porta escancarada,
Pra eu poder olhar,
Essa tua casinha molhada.

E eu vou olhar, apaixonado,
Namorando a cada momento,
A casinha do safado
do meu sentimento.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Planetas na janela - Lucas Jammal

Eu e você, vendo muitos planetas na janela,
Depois de uma noite cheia de amor,
Enquanto o mundo inteiro congela,
A gente vive nosso intenso calor.

Eu quero segurar a tua mão pequena,
Olhar o teu olhar emocionado,
Perceber que a vida é muito mais serena
E que realmente o amor é o mais sagrado.

E eu quero viver num universo,
Onde exista mais planeta do que gente,
Onde eu possa lhe escrever um imenso verso,
Que viage pelo espaço reluzente.

E eu possa enfim chegar na tua vagina,
Que é o planeta molhado que tem vida,
E feito deus, chamar de Terra a minha menina
E dentro dela, provar a fruta proibida.

E tirar de dentro da menina, uma mulher,
Que brinca todo dia, fantasiada de nua.
Tome, pegue meu astral e faça o que quiser,
Mas tente me visitar mais que eu visito a lua!

domingo, 9 de abril de 2017

É preciso crer pra ver - Lucas Jammal

Eu vou rezar minha pequena oração,
Que é bem maior que minha imaginação
Sobre aquilo que pra mim não pode ser.

De que adianta ter um vasto coração,
Se fico aflito quando cheio de paixão
E sem você, eu nunca sei o que fazer?

Quero fazer do vosso amor uma canção,
Se estou vivo, tens pra mim uma missão,
E é por isso que eu começo a escrever.

Eu vou cantar, para que o povo possa então,
Acreditar em toda a vossa imensidão,
E que é preciso crer pra ver.

Soneto inconsolável - Lucas Jammal

Não temos nada a perder
E temos tanto a ganhar,
Mesmo assim você não quer viver,
A minha oferta de sonhar!

Eu tenho tanto pra te oferecer,
Você tem tanto pra me dar,
Você é a rainha do prazer,
Você é o mar do meu luar!

Você é o auge do querer,
Você é a essência de ser,
Canção que faz o surdo chorar.

Você faz a pedra sentir,
O homem mais triste do mundo, sorrir,
Você faz o mudo não parar de falar.
Pra que me corresponder? - Lucas Jammal

Pra que me corresponder,
Enquanto te cobiça, o mundo?
Como você pôde perceber,
Que meu amor é tão profundo?

Se existem amores melhores que o meu
E quase todos com distância bem menor,
por que diabos você me escolheu,
Se o restante é bem melhor?

Então me diga pra que acreditar,
que meu sexo é tão transcendental,
se você nem pode experimentar?

E me diga, pra que tentar,
Caindo na chantagem emocional,
De quem não consegue te conquistar?

Poucos vitais - Lucas Jammal

O problema do homem é a ausência,
O da mulher é o excesso do real,
O do homem é a reticência
E da mulher, o ponto final.

Do homem, é saber conquistar,
Da mulher, é ter que escolher,
Do homem, é saber esperar
E o da mulher, corresponder...

Do homem, conseguir falar
Da mulher, conseguir responder,
Do homem, é poder lembrar
E da mulher, esquecer...

Do homem, resolver o complicado,
Da mulher, encarar a simplicidade,
Do homem, é por mulher, ficar frustrado,
E da mulher, um homem de originalidade.

Do homem, se fragmentar,
Da mulher, se recolher,
Do homem, aprender a viver,
Da mulher, aprender a sonhar.

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Enquanto - Lucas Jammal

Enquanto o mundo curte a solitude,
Eu curto a solidão.
Enquanto todos evitam a virtude,
Eu evito dizer não.

Enquanto o mundo começa a se masturbar
Eu começo a pensar no cheiro da flor.
E enquanto o mundo evita amar,
Eu só evito sentir dor.

Enquanto o mundo evita escutar,
Eu evito falar
E tento prestar atenção.

Enquanto o mundo se preocupa em sorrir,
Eu me preocupo apenas em sentir,
E tocar teu coração.

quarta-feira, 29 de março de 2017

Guiado por uma força maior - Lucas Jammal

É preciso ser feliz,
com qualquer coisa, sorrir,
pra poder sentir,
na raiz...

O espirito se elevar,
guiado, por uma força maior,
aprendendo o que é amar,
sem saber o quanto esse caminho é o melhor...

E acreditar, sem temer,
Que o sonho foi feito pra se conectar
E a vida pra viver...
E o final para começar...

quarta-feira, 8 de março de 2017

Um poema gótico de um poeta gótico (XV - XX) - Lucas Jammal

XV - Concerto nº2

A depressão
É a chave da solidão
Que é a chave da depressão.

Vou me internar,
Dentro de um redemoinho,
Até ficar sem ar.

A voz do meu amor
Não é mais bonita
Que o concerto nº2,
Claro, de Rachmaninoff.

A solidão a telefonar,
Eu a encher a cara de vinho,
Nunca mais quero ficar
Totalmente sozinho.

XVI - Os tímidos beijam bem.

Pois onde há pouca prosa,
Há muita poesia.
Onde há muita conversa,
Há muita ação,
Mas também pode haver muita ilusão...

Às vezes pode haver pouca diversão,
Pois onde há muita paixão,
Pode haver muito apego
E onde há muita esperança,
Pode haver muito não.

E onde há desilusão,
Pode haver muita lembrança.

E onde há silêncio,
Há também um coração.

XVII - melhor ou pior?

Um engenheiro quando calcula
O coeficiente de segurança
Ele pensa no melhor
Ou ele pensa no pior?

E um músico quando toca
Um acorde diminuto,
Ele pensa no melhor
Ou ele pensa no pior?

Um menino gótico que adora sodomia,
Entra na internet pra se masturbar,
Ele pensa no melhor
Ou ele pensa no pior?

E um poeta morto,
Quando quer sofrer de amor,
Ele pensa no melhor
Ou ele pensa no pior?

XVIII - Sensível

Sensível em essência...
Teu afastar
É a minha experiência
De ficar sem ar...

A nossa violência
De sufocar,
É reflexo da demência
Que é viver pra trabalhar...

Sem mulher eu não sou ninguém
E vira algo destrutível, a sensibilidade...
Eu não posso viver sem alguém,
Pra compartilhar o toque e a verdade...

Sensível em aparência,
Ninguém tá nem aí pro meu olhar,
Pra que tanta negligência?
Pra todas as mulheres vou mandar

Mil cartas de amores pra cada,
Mesmo que nenhuma consiga se encantar,
Pois o amor pra elas parece uma piada,
Amor não faz ninguém se apaixonar.

XIX - falsa existência.

Me parte o coração,
Ver essa escuridão
Chamada de razão.

A minha emoção
É fraca em comoção...
De pouco serve a paixão...

Tudo é dinheiro.
Tudo é mercado.
Viver é chegar em primeiro.
Viver é pecado.

Tudo é ter,
Tudo é velocidade,
De nada adianta ser,
Se não se é de verdade.

XX - O poder do amor

Preciso encontrar o poder do amor,
Nas pedras e máquinas desse mundo,
E beijar esse nada, com muito ardor,
Me desenterrar no meio do profundo!

Procurar e procurar e procurar e procurar,
Alguém que ainda tenha um coração,
Alguém que não existe: que saiba amar,
Ainda que bem pouco e sem paixão.

Alguém que não existe: que me dê carinho,
Que me dê atenção quando eu estiver sozinho
E que não me abandone, com medo da intensidade.

Eu sei que é pedir muito por alguém que saiba transar,
Eu sei que é pedir muito por alguém que saiba respirar.
Mas continuo buscando por quem vive de verdade.

segunda-feira, 6 de março de 2017

Um poema gótico de um poeta gótico (VIII - XIV) - Lucas Jammal

VIII - however

My heart is cheap,
But you don't care about me...
My love is deep,
But you will never see...

However,
Forever
This nightmare...
Forever,
However,
I don't care!

My love is growing,
But I don't know where to put it on,
My head is turning,
Thinking that I'm the only one...

However,
Forever,
This Nightmare...
Forever,
However,
I don't care!

I need someone to keep me dark,
And keep my heart shining as a star,
I need some feet to walk my shoes,
I need someone who'll keep me blue...

However,
Forever,
This Nightmare...
Forever,
However,
I don't care...

IX - Você, não!

Você, não!
Me ignorando,
Como se eu fosse uma pobre criança...
Você é terrível...
Você não quer que eu tenha esperança...

Você acha que a melhor coisa é a solidão,
Você chama de solitude,
Você até odeia a virtude...
Você nunca escuta meu coração...

Você acha muito ruim sofrer de amor,
Mas tomara que você possa entender,
Que é sempre bom ter os amigos por perto,
Meu destino fica incerto,
Sem você me responder...

X - caminhando com meus dois pés no chão

Você me viu caminhando com meus dois pés no chão?
É que agora eu nem excito mais em voar...
Existem muitas coisas que eu não deveria te contar...
Todos os meus sins deveriam ser um não.

Você me viu amando ou escrevendo uma canção?
É que nada além de ti, consegue me inspirar,
Então eu começo sempre a me desanimar,
Como posso me apaixonar com tanta desilusão?

Eu nunca vi alguém negar tanto em vão
O que sinto lá no fundo, tentar matar,
Esquecendo que eu nasci para amar
E colocando em primeiro lugar a razão.

XI - sua noção de amor

Qual é sua noção de amor?
Qual é sua noção de dor?
Qual é a sua noção de sonhar?
Qual é a sua noção de se apaixonar?

Qual é a sua noção de viver?
Qual é a sua noção de morrer?
Qual é a sua noção de sentir?
Qual é a sua noção de sorrir?

Qual é a sua noção de felicidade?
Qual é a sua noção de verdade?
Qual é a sua noção de carinho?
Qual é a sua noção de sozinho?

XII - Sem nome

Amor, adoramos conhecer pessoas novas,
Amor, adoramos namorar pessoas novas,
E amar tão intensamente e contar como que foi...
Tão bom ter sem prender...

Não gosto quando te chamam de minha amante,
Na nossa escuridão, há uma certa sodomia,
Uma alegria de viver, tão profunda essa alegria,
E tão cheio de magia! Eu fico emocionado!

Você está sempre ao meu lado...
De alguma forma eu estou sempre contigo,
Quero ser pra sempre teu amigo
E também teu namorado.

XIII - Sexy ant

Mulheres são formiguinhas,
Sempre a trabalhar,
Mulheres são formiguinhas,
Sempre a docinhos, buscar.

As formigas são muito importantes,
No mundo podem mandar,
Mesmo parecendo insignificantes,
Sem sua existência, poderia tudo afundar.

As formigas são seres bem fortes,
Tudo elas conseguem carregar,
Capazes de ficarem entre a vida e a morte
E criarem amor que não se pode explicar.

XIV - Comovente

Tento ser comovente,
Mas acabo sendo constrangedor,
Pois eu estou muito doente,
É muito apego, além de muito amor.

É tão grande o conforto,
Que me faz ignorar o futuro...
O futuro parece morto
E o passado é tão duro!

E o presente não quer acabar,
E o sonho não quer morrer,
E o coração quer amar,
E o amor quer viver.

domingo, 5 de março de 2017

Um poema gótico de um poeta gótico - Lucas Jammal

I - Lerda

Lerda,
Transforma o amor em terror,
Pensando em merda,
Deixando-me sentir dor.

Não posso estudar,
Com tanta ansiedade,
Se você se calar,
Vou morrer de saudade.

Nem mesmo a igreja irá me aceitar,
Pois pra nenhum lugar eu serei chamado,
Qualquer convite eu irei recusar
E assim, deixarei qualquer um cansado.

Pois eu fico lerdo em te esperar,
Não faço minhas coisas, eu fico chateado...
Um pedinte de amor, sempre a mendigar,
Por mais um instante ao teu lado.

II - Balada

Me chama pra balada, eu quero dançar,
Talvez paquerar ou beber até cair,
Com aquela menina vou trocar meu olhar,
Ela mexe no cabelo e começa a sorrir.

Eu vou trabalhar, depois vou pra balada,
Eu vou ser normal, eu vou conhecer,
Eu vou, por um dia, arrumar namorada
E no dia seguinte eu vou esquecer,

Ou vou te ligar pra pedir pra sair,
A noite foi boa, pena que acabou,
E hoje a vida precisa seguir,
Esse nosso amor, foi ontem, passou.

III - Cansaço

Cansaço...
Seu abraço, sem dar...
Colher de amora...
Café preto,
Que da hora
que é a vida
agora...

Momento desespero,
Sem me contrair,
Cuspindo o meu tempero
de novamente sentir...

Cansaço,
O abraço do mar...
No peito uma vontade
de cantar,
sem ar...

Momento desespero,
Distraído novamente,
cuspindo o meu tempero
de seguir em frente...

IV - picolé estragado

picolé estragado,
de um coração congelado,
pura gordura hidrogenada,
de uma alma vazia e pelada.

Todo mundo que se matou,
Deveria mesmo ter se matado,
Pois é sinal que a vida acabou,
Que adianta então ficar acordado?

V - Você e as flores

Você e as flores
E todos os seus amores,
Que não enchem o saco,
Que vida feliz e amorosa,
Ignore o macaco
louco, menina poderosa.

Mas quem tem doença que não tem cura,
Sabe qual é o peso de não ter salvação,
Mas a doença que derruba
É a doença do coração.

Tuas flores, no cemitério, me espetavam,
Tuas roupas feias me mumificavam,
Mesmo pelada, você está tão vestida,
As flores do tempo te tiram de mim,
E eu me revolto com sua morte sem fim,
Maldito cemitério e alma perdida!

VI - Amor morto

Deus, esse sentimento de tempo maldito,
Eu sinto que meus amores estão mortos,
Pois eles tem caminhos distantes, tortos,
Quero morrer também, estou aflito...

Parece que não há gente nesse mundo, oh pai,
Pois a dor do amor é agora e eternamente,
Meu corpo não se levanta e minha alma também cai,
Ser apaixonado deixa muito mais carente.

Meus amores estão mortos, estão mortos de sentir,
Estão mortos em essência e também em existir,
É por isso que eu adoro um cemitério...

Estão mortos de puros e estão mortos de sórdidos,
Estão mortos até de sentimentos mórbidos,
Mortos de luz e mortos de mistério.

VII - Chupadora de sangue

Vem, oh, chupadora de sangue,
Oh, rainha do necrotério,
A mais mafiosa da gangue
É também a mais cheia de mistério!

Vem fazer comigo um ritual,
Com o sangue do maldito vizinho,
Vem comer o meu bilau,
E me tratar com muito carinho...

Se eu começar a sorrir muito, você perde o tesão,
Então é melhor eu voltar a te ignorar,
Vem, meu bem, comer meu coração,
Vem se encher de escuridão até a gente gozar...

sexta-feira, 3 de março de 2017

Louco amante - Lucas Jammal

I - Louco amante

Me interna na sua casa,
Como se fosse um hospício,
Das mais loucas personalidades,
Se entregue pro meu vicio!
Precisamos, na realidade,
Apenas de mais um início,
Pra darmos continuidade,
Dentro do teu orifício.

Me interna sem piedade,
Me desgasta, me agarra
Me renda, me amarra,
Me morda forte, com vontade,
E arranque um pedaço
Brinque com a parte amputada
E então dê gargalhada,
Mas morda forte que eu sou de aço.

Faça tudo de mentira,
Mas faça tudo de verdade,
Vem curar a minha ira,
Matar a minha ansiedade,
Vem falar de forma mansa
E assim, fazer tempestade,
Vem morder a minha pança,
Vamos curtir nossa amizade.

II - No quarto do teu coração

Eu quero ouvir teu coração
bater. Eu quero paixão.
Eu quero viver de emoção.
Me excitar, relaxar e então,
Poder sentir o chão,
Do quarto do teu coração.

Eu quero viver de emoção,
Eu quero sentir o que eu não
Posso sentir em vão.
Eu quero viver a imensidão,
Eu quero viver de emoção,
No quarto do teu coração.

Eu quero segurar a sua mão!
Eu quero sentir teu vulcão!
Eu quero viver de emoção!
Eu quero aprender a lição!
Eu quero encontrar um abrigo,
No quarto do teu coração!

III - exclamação de duas bolas

Não tenha medo do tamanho do meu tênis,
Eu não sou de machucar ninguém, não,
Não tenha medo do meu pênis,
Pois ele é apenas uma exclamação.

Uma exclamação de duas bolas,
De um ponto final excitado,
Meu pau na tua xana, cola?
Ou é reticente o teu estado?

Brochante é a interrogação!
Não, gosto, de, vírgulas, no, nosso, amor!
Dois pontos não esclarecem a relação!
Segura minha exclamação, por favor!

IV - Super-heroína

Tanta gente no mundo...
Quem sou eu? Quem sou eu?
Será que sou mensurável?
Meu amor tem tanta significância?
Minha amizade tem tanta importância?
Mas tudo parece tão lamentável...
Meu coração acelera,
Fica grande, dentro de mim,
Mas na verdade eu fiquei pequeno.
Seria maravilhoso ouvir algum sim,
Ou beber algum copo de veneno...

Você é minha super-heroína,
Mas não conseguiu me salvar,
Sua luz tanto me fascina,
Que eu morri de tanto amar...
Você me acalma tanto,
Só você poderia ter salvado,
Eu amo o teu encanto,
Mas ando tão atormentado...

A tempo, você não conseguiu voar,
Eu, então, morri afogado no mar,
Jogado pelo vilão
Chamado de Mundo ou Solidão,
Morri de paixão e ansiedade,
Será que você é heroína de verdade,
Ou foi só mais uma ilusão?
Salvar nunca foi sua obrigação...

V - Meu tipo de amor

Meu amor é grandioso
E não merece negação,
Pois tudo é tão gostoso,
Quando cheio de paixão!

Meu amor é saboroso
E é cheio de emoção,
Meu amor é poderoso,
Mais poderoso que a razão.

Meu amor é bem cheiroso,
Tem cheiro de canção,
Meu amor é carinhoso,
É de Deus, uma oração.

VI - Se eu só pensasse em sexo

Se eu só pensasse em sexo,
Iria pelo caminho mais fácil de seguir,
Iria fazer uma escolha com mais nexo,
Do amor, eu iria desistir.

E comeria uma gringa nesse avião,
Ou da viagem, uma das russas do hotel,
Eu simplesmente jogaria fora meu coração
E iria com alguma estranha no motel.

E iria rir de algum poeta apaixonado,
Talvez achar que escolher é infantil.
Não ficaria, por mulher, desassossegado,
Visto que ao redor, existem mais de mil.

VII - Teu jeito

Teu jeito especial,
Me faz querer te conhecer,
Você quer ser sem sal
E eu consigo ser.

Já vira tudo branco e preto,
A cor que eu não posso ter,
A vida vira um soneto
E a morte vira viver.

Se for tudo sempre do teu jeito,
Do meu jeito, nada pode acontecer,
Mas meu jeito é querer que seja tudo perfeito.

Oh! Nosso amor ainda há de ser eleito,
E em chamas, ainda vamos amanhecer,
Adormecer na tua cama é meu jeito e teu direito.

VIII - alma acabada

É triste, mas tenho que aceitar,
Que estou apaixonado pela pessoa errada,
É tão triste não poder namorar
Com a alma gêmea, amada.

É bem triste e eu não quero acreditar,
Fico doente, minha alma fica acabada,
Meu coração começa a se desmontar,
Você é minha princesa encantada.

Eu nunca vou cansar de te amar,
Você é a minha mais sombria fada,
Você é a essência do meu ar,
Você é quem faz ser tudo o nada.

IX - Carpe Diem N° 22

Minha filosofia é aproveitar o dia,
Mas sem você, ele fica vazio,
Sem você, qualquer poesia
É feita de versos frios...

É que falta teu abraço e toque,
Tua amizade com sexo e carinho,
Tudo isso me deixa em estado de choque,
Sem você, eu sempre me sinto sozinho.

O tempo é tão curto pra gente ficar separado,
É por isso que estou sempre desesperado!
É tanta coisa que existe pra gente fazer junto!

Quero te dar os beijos mais apaixonados,
No silêncio transmitir todos os tipos de recados,
Vamos fazer muitos pecados, vamos até virar assunto.

X - Amor, aceita

Amor, aceita,
Essa loucura,
Esse amor sem receita
E sem frescura.

Aceita essa paixão,
É só olhar pra lua
E uivar com o coração,
Até ficar nua.

Como a lua, nua, sua,
Que mesmo distante, ilumina,
Vem, amor, sair pra rua!

Vem amor, pro meu abrigo,
Vem, amor, amar na piscina,
Mesmo que o amor seja um perigo...

XI - Never let me down again.

Precisamos dar uma volta,
Com nossas almas e esquecermos,
Que temos corpos largados,
Que ficam desesperados,
Mas por hora não servem por toque.

Eu espero que você nunca mais me desaponte,
Que não duvide do racional da psicodelia,
Que não duvide que minha luz é sombria,
Mas ilumina tudo, ilumina tudo,
Trazendo conforto e escuridão.

Eu espero que você pegue meu coração
E nunca mais me desaponte.
E que traga conforto e escuridão,
Eu quero uma amizade cheia de tesão,
E que traga conforto e escuridão.

Eu espero que você olhe nos meus olhos,
Que responda minhas mensagens,
Que não se encolha com o toque,
Que traga conforto e escuridão,
Está na hora de trabalhar...

É melhor não desapontar,
Sentir o toque ao esperar
Pelo conforto e escuridão.
Se sentiremos nossas almas com a transa de nossos corpos,
Devemos sentir nossos corpos com a transa de nossas almas, agora.

XII - desenho.

Teu rosto é como um desenho,
No caderno de um artista,
Ou no museu do meu coração,
É o quadro que representa minha paixão,
Feito com inspiração e transpiração.

Teu rosto foi feito com engenharia divina,
A prova que existe um arquiteto no universo,
Como pode a biologia, criar sozinha uma menina,
Com um corpo que é romance de final controverso?

Você parece um desenho,
Você parece uma flor,
Mesmo em preto e branco,
Você é cheia de cor.
Você é cheia de amor!

XIII - Obsessão

Eu não tenho esse carinho por ninguém,
Muito menos essa paixão,
Não adianta eu continuar procurando por alguém,
Nunca irei vencer essa obsessão.

É como se todos soubessem que já me entreguei
E descobrissem que eu não tenho um coração,
E todos vem apenas pra me dizer o que já sei,
Então não compartilho nada e vivo na ilusão.

Não tenho histórias pra contar,
Nada que eu faço pode suprir,
Essa vontade de amar,
Essa vontade de sentir,

O teu calor, sempre e agora,
Estou cansado de procurar,
Por outra pessoa, toda hora,
Mas nunca me encantar!

E você v pode abandonar,
Pois eu não posso te esquecer,
Pois mesmo que morras, irei te encontrar
E no cemitério eu iria viver.

XIV - vida curta

Trabalha...
e morre.

XV - Apertadinha

Ninguém te avisou, novinha,
Que hoje a festa é na sua xoxota?
Sua xana deve ser apertadinha,
Será que meu pinto ainda bota?

Vai sair toda assadinha
E vai mancar até Janeiro,
Pobre menina machucadinha
De foder o dia inteiro.

Mas vai ficar molhadinha,
É só eu parar de te secar
E te chupar inteirinha,
Até depois de você gozar...

XVI - went to the moon

Your are looking to a mad man,
who is not really shy,
but he know that she can,
but she don't want to fly.

But he want to fly, anyway,
So he grabbed the girl,
Now she walks naked, everyday,
and the rest you already know...

I want to live my dream,
escutando você dizer que sim,
I want to stay with you.

I want to dance tonight,
feel your pussy tight,
And say that I went to the moon.

XVII - silly lover needing

Need to stop my silly lover needing,
I need to see only the light,
Need to stop the darkness feeding,
And keep my mind alive this night.

I always want to talk with you,
and be with you to everywhere,
I always want to take you,
but I can't take you anywhere.

I need to grow to see the world,
I need to keep my heart happy,
I can't ask you to love me that much,
to feed me and to clean my nappy...

XVIII - More skills

I'm looking for more skills,
For my hard game called love,
Thinking that nothing is really real,
But a crazy feel above

my spirit tell me the true:
" You need her! You need her! "
But everything is very blue,
So I think about leaving the earth,

But gravity is very heavy,
So I can't fly to my darling,
But I'm always ready,
To keep my soul flying.

XIX - inside me

Inside me, there is an empty,
That exist in each second,
In the dark I got plenty,
but unfortunately I didn't reckoned,
That in the silence I got nobody,
I got no breathing, and a loud mind,
I need love, I need somebody,
To keep my heart kind.

Inside me, there is a shadow,
A darkness that I can't control,
every darkness that I swallow,
Ends up stealing my soul.
Cause I can't divide that chain,
Nobody want that kind of passion,
I'm trespassing only my pain,
Without any touch or reaction...

XX - humiliation

The situation
is a simple humiliation...
the bucetation
don't want to be fuckation...
that's the foundation,
of the dead desperation.
That's a fucking nation,
of motherfucker's negotiation.

Look, I'm bleeding,
Begging your little love,
Feel, I'm feeling!
but there's nothing above.
Dream, I'm dreaming!
With the one who is special,
Stay, I'm insisting,
You know, I'm just sentimental.

Não tenho muito a oferecer,
Mas posso somente me humilhar,
Perante a você e Deus, ajoelhar,
E tentar salvar algum prazer.
O dia irá amanhecer,
Mas eu não vou mais acordar,
A gente precisa amar,
o amor não pode morrer.

quinta-feira, 2 de março de 2017

Esclarecimento - Lucas Jammal

I - Mais ou menos

Hoje eu acordei,
Mais ou menos,
Até onde sei,
Estrelas sempre caem,
Quando olham pra gente...
É nosso encanto,
O cantar de repente...
O tecer em pranto
Da harmonia,
A melodia cai nas mãos
Dos anões cor de rosa,
A medalha é dos atletas
QQue chutam algumas bolas,
Na beira de um abismo,
É que as coisas sem sentido
Falam em meu lugar,
Se movimentam em meu lugar,
Sentem em meu lugar,
Sentimentos difíceis de serem sentidos
E impossíveis de serem entendidos.

II - versos sustentáveis

Eu trabalho com poesia,
Eu trabalho com qualidade,
Por encomenda eu rimo e crio fantasia,
Rimar é uma forma de sustentabilidade.

Meu versos se sustentam com a reciclagem
de palavras, em fluxo máximo e máxima intensidade,
Que permitem que eu me envolva em uma grande viagem,
Pensamentos reciclados em sentimentos de verdade.

III - Novamente você

Novamente você
É sempre nova e de repente
E de repente mudou de diferente
Que sempre foi diferente...
Mas você tá mais diferente...
E yo to siempre igual
Usando as mesmas palavras
The same things,
The same thinks...
Mas seu abraço vai ficar comigo,
Seu abraço vai ficar comigo,
Como uma música dos mutantes
Ficam todos juntos numa pessoa só...
Eu sou uma pessoa muito só!
É que eu e você somos só
uma pessoa só...

IV - sexo

Eu só penso em sexo,
Só penso em chupar você.
É que você é muito linda,
E eu adoro uma boceta azul
Dentro de uma calcinha preta,
Minha branquela vermelha...
Teu cinza é tipo rosa.
E tua rosa é violeta.
Tua rosa violenta...

V - 55 Garth Channel

Eu e você, aos beijos, no mar,
Ouvindo Led Zeppelin na estrada,
Depeche Mode pra transar,
E Beatles para amar.

Ouvindo Queen para sonhar,
Vem aqui ser minha namorada,
Tire teu chapéu, jogue pro ar,
Solte os cabelos e vem dançar!

A vida não pode ser quadrada,
O tempo não pode limitar,
Em rock and roll será amada,
Em musicais, se apaixonar.

VI - Rock and roll morreu

Você sempre vai longe,
É quase impossível segurar a tua mão,
Eu só precisava de alguma ajuda,
Somente 8 vezes por semana...

Eu odeio meu rock and roll,
Pois ele vive no cemitério,
Oh! Olhe para todas as pessoas solitárias,
É somente um dia em uma vida...

Sou um pássaro preto, livre pra cantar,
Sons da fé e devoção,
Livros do amor...
Hoje em dia ninguém lê...

Ninguém lê nem as letras dos discos,
Ninguém escuta mais um bom som,
Mas somente a prosa apolínea,
De uma sociedade controlada por máquinas...

Eu sei que você insiste,
Mas honey, eu sou assim,
Um rock and roll triste,
Psicodélico e sem fim.

VII - friends should fuck

Apenas desconhecidos,
Nessa merda de festa,
Que suruba pobre,
Eu não ligo pro teu corpo,
Eu ligo pra tua alma,
Tua essência de ser,
Conhecer
O teu rock and roll de sempre,
Se você não me conhecesse,
Mandaria um nude?
Amigos deveriam transar,
Cantando opera.

VIII - full of nothing

Cansado de cantar
Para os pássaros insossos,
Que voam pra nenhum lugar,
Cheio de nada em seus ossos...

Cansado de me masturbar,
Para ossos de máquinas,
Eu quero me entranhar,
Nas almas e nas vaginas.

Vagina é meu mar,
Mulher é minha praia,
Teu amor é o raio solar
E a areia, a tua saia.

IX - O amor é uma semente

Teu corpo ausente
Não vê graça,
O amor é uma semente,
No meio de uma praça
Que ninguém visita.

Você não quer regar,
Pois você não acredita,
No poder de amar.

X - transa epilética

Vem, pequena,
Transar no cemitério,
Enquanto o Joy Division toca pra gente,
Vamos transar feito epiléticos,
Feito camaleões,
Vem me dar a fonte da nossa alegria.
Mergulhar um no outro,
Como mergulhamos no mar,
Vem, amor, mergulhar no fogo.
Deixe tuas bochechas ficarem vermelhas,
Deixa eu beijar a tua boca e tirar teu ar,
Não seja pimentinha feita Elis Regina,
Deixa, amor, eu cuidar da tua vagina,
Eu sei que sou teu amigo,
Eu sei que não faço seu tipo,
Eu sei o quanto dói quando acaba,
Eu sei que existem outos amores,
Mas isso ficaria eternizado!
Amor! Ficaria eternizado!
Amor, não me deixe traumatizado...
Deixe-me olhar nos teus olhos, fantasma,
Vamos transar entre as flores!
Vamos viver um amor cheio de asma!
Nossa amizade combina com cores.

XI - Britney Spears

Tão bom ver algumas mulheres,
Nessa belíssima praia de nudismo,
É uma pena que são pouquíssimas que vão,
Mas as poucas já carimbam meu coração,
Com xanas tão bonitas,
Oh! Essas lindas bocas sem rosto, que piscam...
Nenhuma vai estar na minha masturbação esta noite,
Mas estarão guardadas em minha mente,
Como guardo apaixonantes paisagens...

Tão apaixonante ver a água batendo na xana!
Imaginar o quão salgada que ela deve estar,
Pena que eu não pude sentir o cheiro do mar,
Se ele pegasse o teu cheiro, eu morreria afogado...
Eu imagino você aqui pelada comigo...
Eu quero te sentir, eu quero te tocar,
Eu sei que eu deveria ser apenas teu amigo,
Mas você é tão cheirosa que me deixa até sem ar!

XII - Música brega

Vou fazer de tudo para que tudo dê certo,
Para ter sua companhia sempre por perto,
Meu coração vai estar sempre aberto,
Pra você e só você. Vou ficar esperto

Pra nosso amor abstrato virar concreto,
O amor precisa ser algo direto,
O sentimento precisa ser correto,
O amor é objetivo e reto.

O amor é rezar para Deus por um destino,
Ao teu lado, o infinito, ouve, ainda toca o sino,
Ao teu lado, mesmo velho, serei sempre um menino,
Ao teu lado, qualquer música brega vira hino.

XIII - calcinha preta

Olho com carinho,
Pra sua calcinha preta,
Precisamos traçar um caminho
Que não seja careta...

Sair do país dos investigados
E investigar o nosso amor pacífico,
Deixar todos eles emocionados,
Com nosso amor tão específico.

Ouve esse solo de guitarra,
Enquanto eu inalo a tua alma,
Vem, me prende com tua garra,
Vem me excitar pra me dar calma!

XIV - heavy metal

Minha hora está chegando,
Tchau amigos fantasmas,
Eu sou apenas um morcego de plástico,
Meus ossos estão apodrecendo,
Meus membros aos pedaços,
Deus não existe,
Eu fico triste...
Se o mundo fosse
Só eu e ela
E o heavy metal...
Todo dia você volta da escola
E vai pra casa,
Sem passar por aqui...
Ah! Se o tempo parasse,
Talvez a gente se amasse,
Sem os gritos do silêncio,
Dessa cidade que desgasta...
Nosso amor cheio de graça
É como um solo de guitarra,
Nossa paixão, a bateria,
Nossas filosofias, teclados,
Nosso silêncio, o baixo
Nosso sexo, saxofone...
Vamos morrer de tanto transar?

XV - antena

Você é um satélite perdido no espaço,
Que distante, transmite informações,
Quero virar astronauta, te dar um abraço,
Quero ir muito além das minhas emoções.

Você acha bonita a minha antena?
E sonha em segura-las na palma da mão?
Mas sabendo, infelizmente, que a vida é pequena,
Ao invés de amor, eu escolhi a paixão.

Você me inspira, coração, com sua loucura,
E fico antenado com qualquer informação,
Vamos viver uma amizade sem frescura,
Pra uma paixão tão intensa, não se pode dizer não.

XVI - Rock alternativo

Chegamos um para o outro,
Com cheiro de bocetas,
Deliciosas por sinal,
E então nos beijamos,
Feito um casal moderno...
Rapaz, eu também sou menina,
Então deixe-me chupar sua vagina,
Antes que o dia amanheça...

Será que ela irá gostar da gente?
Você é minha alma gêmea,
Mas as pessoas não entendem isso...
Estamos causando muita confusão,
Não estamos?

Pra onde vamos agora?
Sem sermos que a dança
São seres que cozinham
Entre trevas e luzes...
Mas ninguém contou pra gente,
Que a luz se esconde
Pensando pra frente,
Eu realmente não sei pra onde ir,
When it's inside my feet,
But nobody see it.
So, thanks to sing with me.

XVII - Farewell

You are just looking for your light,
You are just looking for a normal life,
But I'm looking for the night,
My dick is sick as a woman with a knife.

You are sweet, but you want freedom,
But don't you know that it's freedom too?
Girl, you can fly inside my bedroom,
I'll fly while I hold you.

Don't give up, love, don't give up,
Birds can't stop to sing,
Run, love, run, cause it's not enough,
Run, cause the bells still to ring!

XVIII - Sorry, amore!

O garoto passou seu perfume Chanel,
Saiu arrumado em Miami,
Algumas gatinhas olhavam pra ele,
Mas ele não olhava de volta...

Tinha a noção da distância...
O dinheiro não compra tempo,
Nem o sabor de uma amizade,
Cheia de sexo e vertigem.

O amor tem lá sua origem,
Mas o que ele tem de sonho,
As vezes falta de realidade,
O amor é triste, na verdade.

Eu só quero aproveitar o agora,
Comer alguma estranha ao meu redor,
Não se compara com a hora
De te conhecer melhor.

Garotas, meu amor e meu tempo distantes,
Eu quero ficar, eu prefiro sofrer sozinho,
Pois meu amor não é de instantes,
Mas sim um segredo entre o sol e o vinho.

XIX - Sozinho

Como eu pude ter tantos amigos, sozinho?
Como eu pude chorar tanto escondido?
Olhar pela janela, bêbado de vinho,
Vendo o amor morrer e a vida perder o sentido.

Não posso ficar sozinho, tenho que amar,
Mas vocês são minhas amigas, é dolorido,
Vocês são minhas amigas, não posso transar,
Minha alma vai embora, meu corpo arrependido...

Mas é tão ruim pra mim transar com uma estranha,
Eu sou muito tímido, intenso e sombrio,
Estou sem energia pra brincar com tua aranha,
Troquei minha juventude pela paixão e o vazio.

XX - Amor particular

Queria te ver voar,
Nos braços alheios, agarrada,
Mesmo que isso possa me machucar,
Quero te ver feliz, apaixonada...

Queria poder te namorar,
Ter a alma menos afobada,
Contigo, poder sempre dançar,
Quero te ver feliz, apaixonada...

Queria poder te abraçar,
Poder te cheirar, chamar de amada,
Quero te ver beijando, poder te beijar,
Quero te ver feliz, apaixonada...